17 de janeiro de 2014

As 10+ Melhores Canções Para Embalar Bebés

Desde que o JB nasceu que a música é uma constante na nossa vida como já o indicámos em alguns posts. Inicialmente muita música clássica, ouvimos alguma musica infantil (principalmente em Inglês) que ele adora e tento ir passando algum «bom» gosto musical (pelo menos do meu ponto de vista). Gosto de pensar que um dia ele também reconhecerá e compreenderá o meu gosto musical - ainda que o dele seja depois actualizado à época dele - isso aconteceu lá em casa! Que não seja um daqueles putos que se arrepiam só de ver o som da música ouvida pelos pais. Que ouça a dele e conheça, quem sabe até goste, da «minha». As pessoas que conheço com mais conhecimento e melhor gosto musical conhecem de tudo um pouco.

Com a oferta da T(i) e do Rato de uma sweater dos Ramones ficou fã do «hey ho, let´s go» - tornou-se um hino de reconhecimento lololol, no aniversário tivemos o luxo de uma oferta deliciosa do Fred e da Ana 2 cds gravados by Diniz - top para um chill out de qualidade.

Cruzei me esta semana com um artigo do Blitz com o top 10 deles, concordei com algumas - quase todas, menos com uma ou outra... e então aqui está o mesmo top 10+ reinventado e o meu teaser: e vocês, quais acrescentariam? - daí 10+.
Não direi que são de embalar... pode não resultar... mas para momentos mais calminhos e quem sabe consequentemente acabarem embalados :-)


  • Virginia Astley - "From Gardens Where We Feel Secure" (From Gardens Where We Feel Secure, 1983) .Nada melhor para embalar bebés do que sons de passarinhos e uma flauta pastoral. O álbum de estreia a solo de Virginia Astley (que é cunhada de Pete Townshend dos The Who...) é uma obra de culto, originalmente editada pela Rough Trade em 1983. As suas melodias evocam pastos verdejantes e eternos dias de primavera. Os bebés gostam disso. - (in Bliz) Concordo! É lindo!


  • Julee Cruise - "The Nightingale" (Floating Into The Night, 1989) Guitarra muito calma, carregada de reverb, voz sussurrada e muitos "uhus" garantem resultados quase imediatos. Ainda que a voz de Cruise e a música de Badalamenti possam, a espaços, ser assustadores (ouça-se a banda-sonora de Twin Peaks...), são também expoentes claros do chamado "dream pop" e, neste caso, garantem o efeito desejado: chamar o João Pestana.  - (in Bliz) Concordo! É lindo!


  • The Cure - "Lullaby" (Disintegration, 1989) . Mais uma voz sussurrada! Claro que Robert Smith podia assustar qualquer bebé com aquele cabelo, mas a melodia de cordas neste tema pode conseguir que o bebé parta para um mundo de sonhos. De certa forma, com este Disintegration, os Cure regressaram às sonoridades mais etéreas e negras, do domínio dos sonhos - e, por isso, uma "Lullaby" de melodia rebuscada faz todo o sentido. (in Bliz) - Sou fã!

  • Caetano Veloso - "Leãozinho" (Bicho, 1977) . Depois de trazer inspiração do Festival de Arte e Cultura Africana de Lagos, na Nigéria, Caetano Veloso criou "Bicho", um álbum que ignorava as revoluções musicais ocorridas em 1977 e aprofundava a sua veia de composição muito particular. "O Leãozinho" é uma das marcas dessa experiência - guitarra acústica, voz, assobio. Perfeita para embalar bebés. Nos trópicos - e cá também! (in Blitz) - esta é óbvia! é um clássico!

  • Cristina Branco - "Menino d'Oiro" (Abril, 2007) . A voz de Cristina Branco consegue embalar crianças e adultos, tal a sua profunda beleza. Mas neste tema do cancioneiro de José Afonso, incluído no seu recente álbum Abril, a sua voz emociona de forma quase inexplicável. É ouvir a forma como a palavra "trenó" soa quando Cristina a canta. Faz sonhar qualquer um... (in Blitz) - SEM DÚVIDA! é deliciosa esta voz!


  • Howie B - "Music For Babies" (Music For Babies, 1996) . O único homem do mundo que trabalhou com U2, Björk e The Gift fez um álbum inteiro a pensar nos bebés e chamou-lhe, só para confundir, Music For Babies. O tema-título é um tranquilizante exercício de música ambiental que, se conjugado com a parte mais caleidoscópica das emissões diárias do Baby TV, pode ter efeitos incríveis. (in Blitz) - esta foi uma das descobertas interessantes. É não só bom para embalar como também para tranquilizar uma mente inquieta em dias menos bons.


  • Raymond Scott - "Sleepy Time" (Soothing Sounds For Baby Vol. 1, 1997) . Raymond Scott foi um visionário e um pioneiro da electrónica que em 1964 editou uma série de três álbuns pensados precisamente para ajudar crianças a adormecer. O primeiro álbum era desenhado para crianças até aos seis meses, o segundo para bebés até um ano e o terceiro deveria surtir efeitos para os filhotes que tivessem até 18 meses. Na verdade, Scott inventou a música ambiental ainda o homem não tinha ido à Lua! (in Blitz) - electrónica para bebés... é muito à frente! Eu que não sou fã de electrónica adorei este trabalho.


  • Mecano - Hijo de la Luna (1991). Um dos grandes êxitos deste grupo espanhol que adoro. Esta musica conta uma lenda cigana - O filho da Lua. Adoro e é tão Mãe/Filho/Lua... tão eu :-) 
(...) Y en las noches que haya luna llena será porque el niño esté de buenas.
    y si el niño llora menguará la luna para hacerle una cuna (...)


    • Have I told You lately that I Love You - Van Morrison - um clássico das músicas românticas mas com uma letra que representa a minha maternidade tão bem! O que melhor para o embalar que lembra-lo que ele é amado? Van é o meu favorito - gosto da voz rouca dele - mas a versão Rod Stewart também é boa.

    • (the last but not the least) You Are My Sunshine - 1939 by Jimmie Davis and Charles Mitchell - é considerada música do estado de Louisiana (USA). Esta é a versão Johnny Cash que é calminha e profunda mas existem várias outras deliciosas. Eu a cantar: repetição repetida do refrão - são as palavras que nos interessam :-) 

    ... e agora que fiz a lista, estou pronta para fazer da 11ª à 20ª ... sou realmente de uma época priviligiada em termos de música... tanta coisa boa para ouvir!!!

    E vocês? Quais acrescentariam?

    Sem comentários:

    Enviar um comentário

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    Mensagens populares